top of page

“O Que as Escolas de Negócios não Ensinam”

Eng. Rogerio Cardoso - 11.09.2021


A Gestão Orientada por Princípios


Os Princípios Organizacionais

- “Mobilizam” e “inspiram” todos os colaboradores na mesma direção.

- “Simbolizam” a voz do principal líder da companhia.

- “Representam” a essência da cultura da organização.

- “Orientam” a tomada de “decisão” dos executivos da organização.


Fig. 01 – A Gestão Orientada por Princípios

Três Perguntas -Chave Que Deve Responder

- O que “não é tolerável” naquele “ambiente”?

- Quais as “normas de conduta” fundamental?

- Qual é o “papel” de cada “colaborador” na organização?


Seu Modelo Deve:

- Ser “revisado” periodicamente.

- É necessário que todos os seus “tópicos” sejam “legítimos”, “verdadeiros”,

- Basear-se em “definições específicas” e “claras”.


Fig. 02 – A Gestão Orientada por Princípios

Referências de Princípios

- “14 Princípios da “Toyota”

- “10 Princípios “AB InBev”

- “14 Princípios de “Deming”

- “Guia do Líder da “Pastoral da Criança”


Vou aproveitar e transcrever os “14 Princípios do Deming”. Este engenheiro e pesquisador, teve um papel importante na recuperação econômica japonesa e também influência no desenvolvimento e crescimento da Toyota.

1. Estabeleça “constância de propósitos” para melhoria do produto e do serviço, objetivando tornar-se “competitivo” e “manter-se em atividade”, bem como criar empregos.


2.Adote a nova filosofia. Estamos numa nova era econômica. Administração ocidental deve acordar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e “assumir a liderança” no “processo de transformação”.


3.“Deixe de depender da inspeção para atingir a qualidade”. Elimine a necessidade de inspeção em massa, “introduzindo a qualidade no produto desde o primeiro estágio”.


4.Cesse a pratica de aprovar orçamento com base no preço. Em vez disso elimine o preço total. “Desenvolva um único fornecedor para cada item”, num “relacionamento de longo prazo ” fundamentado na “lealdade” e na “confiança”.


5.“Melhore constantemente” o “sistema de produção” e da “prestação de serviços”, de modo a “melhorar a qualidade” e a “produtividade” e, consequentemente reduzir de forma sistemática os custos.


6 Institua “treinamento” no “local de trabalho”.


7. Institua liderança. O “objetivo do Líder” deve ser de “ajudar as pessoas” e “as máquinas” e “dispositivos” a executarem um trabalho melhor. A chefia administrativa está necessitando de uma revisão geral, tanto quanto a chefia dos trabalhadores de produção.


8 “Elimine o medo”, de tal forma que todos trabalhem de modo eficaz para a empresa.


9.“Elimine as barreiras entre os departamentos”. As pessoas engajadas em pesquisas, projetos, vendas e produção “devem trabalhar em equipes”, de “modo a preverem problemas” de produção e de utilização do produto ou serviço.


10.Elimine temas, exortações e metas para a mão de obra “que exijam nível zero de falhas” e estabeleçam “novos níveis de produtividade”. Tais exortações apenas geram inimizades, visto que o grosso das causas da baixa qualidade e baixa produtividade encontram-se no sistema, estando, portanto, fora do alcance dos trabalhadores.


11.Elimine padrões de trabalho (cotas) na linha de produção. “Substitua-os pela liderança”; elimine o processo de administração por objetivos. Elimine o processo de administração por cifras, por objetivos numéricos. “Substitua-os” pela “administração por processos” através dos “exemplos de líderes”.


12. Removam as barreiras que privam o operário horista de seu direito de orgulhar-se de seu desempenho. A responsabilidades de seus chefes deve ser mudado de números absolutos “para a qualidade”; removam as barreiras que “privam as pessoas da administração” e da “engenharia” de seu direito de “orgulharem-se” de “seu desempenho”. Isto significa a abolição da avaliação anual de desempenho ou de mérito, bem cômoda administração por objetivos.


13.Institua um forte “programa de educação” e “autodesenvolvimento”.


14.Engaje todas as empresas no processo de “realizar a transformação”. A transformação é da competência de todos.

Fig. 03 – A Gestão Orientada por Princípios

“Esses princípios são surpreendentemente contemporâneo”, deve pensar o leitor. Sim, mas seu conteúdo nem é questão de ressaltar aqui. “O importante é a forma”.

Toda a empresa, independente de seu porte, tem de “formatar a lista de princípios básicos”, que traduzam suas declarações de missão, visão e valores na prática e os “disseminem entre o seu pessoal”, a fim de se tornar uma “organização orientada por princípios”. Isso, e só isso, é o que lhe pode dar o alinhamento necessário em um “cenário de profunda transformações”.


Fonte: Livro – O que as Escolas de Negocio não ensinam
José Salibi Neto e Sandro Magldi

Cel 43 98854 3616




Comments


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • LinkedIn Social Icon
bottom of page