top of page

Alguns Fatos Sobre o Topo da Liderança

Considero a questão da liderança algo tão pessoal que o assunto tem rendido reflexões ao longo dos anos. Apresento algumas delas:


Ninguém jamais chegou ao topo sozinho


Poucos líderes alcançam o sucesso “sem o trabalho de muita gente”. Nenhum líder é bem-sucedido “se não contar com ajuda”. Infelizmente, assim que chegam ao topo, alguns líderes “perdem tempo” tentando “empurrar para baixo” os que estão lá. Bancam os “reis da cocada preta” por “insegurança” ou “medo” da competitividade. Isto pode até dar certo por algum tempo, mas geralmente não duram muito.


Derrubar prováveis adversários, é algo “que consome tempo e energia demais”, e quem faz isso se preocupa “com gente” que provavelmente está “fazendo o mesmo”. Em vez disso, “por que não estender a mão” a estas pessoas, para que subam e se juntem com você no topo?

Chegar ao topo é fundamental quando se deseja levar os outros consigo


Há muita gente no mundo sempre dispostos a “dar conselhos sobre o que não conhece”. São como agentes de viagem mal-intencionados, que lhe vendem uma passagem bem cara desejando “Espero que aprecie a viagem” e, depois, “nunca mais são vistos”. Os bons líderes, por sua vez, são como “guias turístico de verdade”. Conhecem o território porque “já fizeram aquela viagem antes”, e “fazem o que podem” para tornar o passeio agradável e proveitoso para todo o mundo.


A “credibilidade” de um líder começa com o “sucesso pessoal” e “se confirma” na iniciativa de “ajudar os outros” a alcançar sucesso também. Para ganhar credibilidade, é preciso que você demonstre possuir três características:

· Iniciativa: você precisa se levantar “para subir”.

· Sacrifício: você precisa abrir mão “para subir”.

· Maturidade: você precisa se desenvolver “para subir”.


Se você “mostrar o caminho das pedras”, as pessoas desejarão “seguir sua liderança”. Quanto mais alto você chegar, maior será o número de pessoas dispostas a viajar ao lado.

Geralmente, os líderes não estão no topo.


Os líderes “raramente” ficam muito tempo parados. Eles estão em “constante mudança”. Às vezes, estão “descendo a montanha” para descobrir “novos líderes em potencial”. Em outras oportunidades, estão “na escalada com grupo de pessoas”. Os melhores dedicam a “maior parte” do seu tempo “servindo” outros líderes elevando-os “para o alto”. Jules Ormont afirmou: “O grande líder” nunca se coloca “acima daqueles” que o seguem, a “não ser” quando se trata de “assumir responsabilidades”.


Bons lideres que mantém “a interação com seu pessoal” estão sempre se inclinando: é a única maneira de “se estender a mão para baixo” a fim de puxar os outros “para cima”. Se você deseja ser o melhor líder possível, não permita que a “insegurança”, a “mesquinhez” ou o “ciúme” o impeçam de “ajudar outras pessoas”.


Fonte: John C. Maxwell





Comentários


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • LinkedIn Social Icon
bottom of page